07/10/2011 Alegrias e tristezas sob o teto preto e branco

 

A morte brinca com o policial todos os dias como num jogo.  Em algum momento levará sempre um de nós, apenas não sabemos quando. Fingimos não acreditar que possa acontecer e saímos todos os dias no intuito de cumprir com a obrigação de fazer o que mais gostamos: proteger a sociedade.  

Saímos felizes por estar assim. Dividimos alegrias e tristezas sob o teto preto e branco. Quando um policial morre em decorrência da profissão, perdemos em tudo, não perdemos apenas um homem e suas qualidades. As feridas produzidas pelas balas que o mataram continuarão a sangrar, de alguma forma, em todos os familiares, policiais e amigos por longos anos. Quando um policial morre ou é ferido perdem todas as pessoas de bem. Nenhuma explicação é capaz de diminuir a dor, apenas o tempo nos ajudará. É sempre assim...

 A Associação dos Servidores da 8ª Região Policial – Asserpol – que representa os Policiais da Região da Serra Gaúcha, da qual fazia parte o Policial Luis Antonio Medeiros de Matos expressa aos familiares e amigos todo o seu sentimento de tristeza nessa hora tão difícil.  Pessoa ímpar, profissional, amigo e colega de bondade indescritível deixará em nossas memórias lembranças de seu comportamento sereno, divertido e amigo.  Certamente acolhido por Deus no pedacinho do céu.

 

Inspetor Rafael  Andrade

Presidente da Asserpol - 8ª Região Policial

Nota: A matéria acima está reproduzida no Blog deste site para comentário dos amigos, colegas e familiares. Clique aqui...

 

Postada por Carlos Matsubara