20/01/2015 Diretoria do Sinpol-RS se reúne com Subchefe da Casa Civil, Dr. Janir Brancophoto

Na manhã desta terça-feira, 20, a diretoria do Sinpol-RS realizou a primeira reunião com o Subchefe ...

Na manhã desta terça-feira, 20, a diretoria do Sinpol-RS realizou a primeira reunião com o Subchefe da Casa Civil, Janir Branco, no Palácio Piratini. Branco recebeu o Sinpol-RS a pedido do Chefe da Casa Civil, Márcio Biolchi, que estava em viagem com os secretários Giovani Feltes e Carlos Búrigo, acompanhando o Governador José Ivo Sartori em Brasília, os quais devem retornar na tarde de hoje.

O objetivo da reunião foi manifestar a preocupação em relação aos itens do Decreto 52.230/2015, que poderiam afetar a categoria de alguma forma. Entre os itens expostos pelo Sinpol-RS, os quais estão embasados no ofício entregue e protocolado na Casa Civil, constaram:

 - A convocação dos 661 aprovados do concurso que aguardam chamada para cursar a Academia de Polícia, deixando clara a necessidade do aumento do efetivo da Instituição, devido à sobrecarga de trabalho com que hoje atuam os colegas e ao grande número de aposentadorias previstas;

- O implemento das gratificações relativas à Lei 14.661/14 (substitutiva da Lei 11.000/97);

- Continuidade das promoções, conforme o cronograma normal da Instituição, tendo em vista que poderia afetar a auto-estima, o ânimo profissional e o estímulo e valorização do servidor policial;

- Pagamento de horas extras;

- Contratos de prestação de serviços gerais e de limpeza e contratos de locação de imóveis para funcionamento das delegacias.

O Subchefe Janir Branco reconheceu que as medidas do Decreto são restritivas, porém, se mostrou solícito e manifestou interesse pelas demandas, afirmando que vai tratar os assuntos com o Chefe da Casa Civil, Márcio Biolchi, com o Secretário-Geral de Governo, Carlos Búrigo, e com o Secretário da Fazenda, Giovani Feltes, analisando se os itens poderiam ser atendidos por meio da excepcionalidade prevista no próprio instrumento legal do Decreto Nº 52.230/2015, elencado em seu artigo 4º, o qual permite que os itens do art. 2º sejam reconsiderados por se tratarem de serviços essenciais do Estado. Completou afirmando que há espaço político para negociar e viu com muito bons olhos as demandas reivindicadas pelo Sinpol-RS, acreditando em uma resposta sobre as demandas solicitadas o mais breve possível.

A diretoria do Sinpol-RS reforçou o ideal propositivo do sindicato, pautado pelo diálogo e por medidas concretas e objetivas, e se colocou à disposição para contribuir em medidas que visem melhorias para a Polícia Civil. Para a presidente do Sinpol-RS, Ilorita Cansan, “o primeiro contato com o novo Governo foi positivo e a expectativa é que as demandas apresentadas sejam reconhecidas como essenciais ao Estado, visto o trabalho fundamental prestado pela Polícia Civil à sociedade gaúcha”.

Participaram da reunião, pelo Sinpol-RS, a presidente Ilorita Cansan, o segundo vice-presidente, Rogério Bilhalva, o diretor jurídico Mário Flanir e o secretário Paulo Maciel.

Fotos: Andressa Pazzini

 

 

 

 

 

Postada por Carlos Matsubara