19/08/2015 Servidores públicos deflagram greve por três dias e fazem mobilização históricaphoto

Cerca de 50 mil servidores públicos, entre policiais, professores, agentes de saúde, entre outros, fizeram ...

Cerca de 50 mil servidores públicos, entre policiais, professores, agentes de saúde, entre outros, fizeram história no dia 18 de agosto de 2015. Em Assembleia Geral Unificada, realizada no Largo Glênio Peres, em Porto Alegre, da qual o Sinpol-RS participou, representações de mais de 40 categorias decidiram por unanimidade deflagrar greve unificada dos servidores por três dias: 19, 20 e 21 de agosto.

A decisão é uma forte resposta aos constantes ataques e terrorismo do Governo Sartori contra os direitos dos servidores públicos e contra a falta de investimentos em áreas primordiais para a população, como segurança, saúde e educação. Além disso, é um alerta para que o Governador reveja a possibilidade de parcelamento de salários do mês de agosto. Caso isso volte a ocorrer, como aconteceu com o pagamento do mês de julho, ocorrerá nova paralisação nos dias 31 de agosto, 1, 2 e 3 de setembro, com ato público em frente ao Palácio Piratini neste último dia. “O servidor público não é escravo para trabalhar sem receber. Exigimos o devido respeito do Governador Sartori. Não é dessa forma, desestruturando o sustento das nossas famílias, que conseguirão recuperar o Estado”, defende a presidente do Sinpol-RS, Ilorita Cansan.

Após aprovada a greve unificada, os servidores seguiram para a Praça da Matriz, para fazer o alerta também aos deputados estaduais aliados ao Governo do Estado, que já se posicionaram contra os servidores ao aprovarem a Lei de Diretrizes Orçamentárias para 2016, que prevê o congelamento dos salários, que não terão sequer a reposição da inflação acumulada, e não inclui a convocação dos 661 concursados aprovados da Polícia Civil e cerca de 2 mil aprovados da Brigada Militar, deixando claro que a segurança pública da população não é prioridade do Governo Sartori e nem destes deputados. Além disso, a reivindicação de todas as categorias é de que o PLC 206/15, de autoria do Governo Sartori, que pode afetar as despesas com os servidores de todos os Poderes do Estado, seja retirado da pauta de votação.

Essa é a primeira vez que servidores de tantas categorias se unem na luta pelos seus direitos e assim permanecerão, para fortalecer o enfrentamento aos ataques do atual Governo Estadual.

Fotos: Andressa Pazzini

Postada por Carlos Matsubara