03/04/2020 As emendas aglutinativas e destaques constantes em PEC, propostas pelo Partido Novo, de redução salarial dos servidores foram rejeitadas pelo relator sob a tese de confisco, por oraphoto

O corte de salários dos servidores (emendas 4 e 5) foram rejeitadas pelo relator e não serão votadas. O Partido Novo, que é contra os servidores públicos, destacou a emenda 10 (Fundo Partidário), então, por enquanto, a não ser que o Novo mude seu destaque, o corte de salários não está em votação.

Num momento em que os serviços públicos e os servidores se mostram cada vez mais essenciais para a população brasileira, em uma jogada oportunista o Partido Novo tentou dar um golpe no bolso dos trabalhadores.

As emendas 4 e 5, apresentadas pelo Novo, estabelecem a redução de subsídios, salários e proventos de maneira progressiva e  escalonada, de forma cumulativa, da seguinte maneira:

- Remuneração bruta mensal entre R$ 6.101,07 e R$ 10.000,00 – redução de 26%;

- Remuneração bruta mensal entre R$ 10,000,01 e R$ 20.000,00 – redução de 30%;

- Remuneração bruta mensal a partir de R$ 20.000,01 – redução de 50%.

Confira a emenda do Partido Novo clicando aqui 

Postada por Carlos Matsubara