História da criação: pioneirismo e coragem

Fundação

O Servipol - Sinpol-RS foi criado em 10 de Junho de 1989. 

A seguir, a transcrição na íntegra da Ata de Fundação:


"ATA N°1 - A CRIAÇÃO DO SERVIPOL - Aos 10 (dez) dias do mês de junho do ano de 1989 (mil novecentos e noventa e nove), no auditório Cícero do Amaral Viana, no Palácio da Polícia, na avenida João Pessoa, 2050, nesta Capital, foram abertos os trabalhos da Assembléia Geral Extraordinária, convocada por edital expedido e publicado a 10 (dez) de maio do corrente ano, no jornal Zero Hora, na editoria de Polícia, assim como no jornal Eco da UGEIRM n° 39, de junho deste ano, cuja finalidade era a discussão da seguinte ordem do dia; o início dos trabalhos deu-se às 15 horas. A seguir, foi lida, pela secretária dos trabalhos, a íntegra do edital de convocação, publicado na imprensa, que referia a continuidade do movimento sindicalista encetado pela UGEIRM, e que consistia a seguinte ordem do dia:

Apreciação da discussão e decisão da categoria sobre criação da identidade sindical - sindicato- representativa dos policiais civis do Estado;
Escolha da denominação, grau e base territorial;
Discussão e aprovação do estatuto provisório;
Eleição e posse de uma diretoria e de conselho fiscal provisórios;

Assuntos gerais sobre sindicato. OBS: os policiais presentes deverão identificar-se com a cédula funcional.

A seguir, dentre os presentes, por unanimidade, foi indicado para presidir os trabalhos da assembléia Fernando George Maciel Fernandes, que indicou para lhe secretariar a escrivã de Polícia Lia Mara dos Santos Soares, também aprovada por unanimidade. Abertas as inscrições aos interessados, falou Vianei Bortoluzzi I.I: propôs que a UGEIRM lançasse uma chapa; Luís Carlos Barreto, da 8ª DP, acordou com a proposta anterior. Dada a palavra a Benjamim Boézzio, este criticou a formação da entidade, tendo como presidente o escrivão de Polícia Estevão Marques Filho, citando ter inexistido a posse, dizendo que o presidente (Estevão) também teria assinado como secretário; que o edital de convocação foi um mero edital em folha de ofício, sem publicidade; propôs que, se realmente Estevão visasse a interesses classistas, deveria, para que tal medida fosse confirmada, que, por escrito, fizesse junto à DRT a desistência do mesmo. Estevão manifestou-se, acordando com a sugestão, afirmando que Segunda-feira, dia 12 do corrente, pediria a desistência, por escrito, do mesmo, junto àquele órgão, sendo aplaudido por toda a assembléia, para união da Polícia Civil. A seguir, pela ordem, manifestaram-se a favor da formação do Sindicato: Luiz Carlos Campagnolo Barreto, Renato Rosa da Silva, Benjamim Boézzio e outros presentes. O presidente consultou a assembléia, se os inscritos, que ainda não haviam se manifestado, queriam fazê-lo; a maioria deliberou que, caso a manifestação fosse positiva, seria desnecessário, face o adiamento da hora. Pediu um aparte o colega Medeiros, que não havia se inscrito, para falar, sendo recusado por maioria dos presentes. A seguir, foram apreciados os itens do edital de convocação, conforme constou no início desta.

Discutida, votada e aprovada a formação do sindicato;
Diante de várias sugestões, foi aprovado o nome para o Sindicato, sendo Sindicato dos Servidores da Polícia Civil; grau de abrangência; todos os servidores da PC; território, todo o Estado;
Foi discutido, votado e aprovado o estatuto provisório;
Eleita a diretoria e conselhos ficais provisórios, com os seguintes membros: Presidente: Renato Rosa de Souza; Vice-presidente: Fernando George Maciel Fernandes; Sec. Geral: Antônio Carlos Paz; 1° Secretário: Juares Carlos Hoy; 2° Secretário: Flávio da Silva Mariano; 1° Tesoureiro: Carlos Roberto Correa Lagarreta; 2° Tesoureiro: Aldoir Prates; Dir. Depto. Jurídico: Carlos Estevão Marques Filho; Dir. Depto. Cultural: José Elon Lírio de Oliveira; Dir. Depto. Assistencial: Luiz Carlos Barreto; Dir. Social: Rosângela Vaz; Conselho Fiscal: Júlio César de Paula Guedes, Jair Oliveira, Jorge Pinho Loeffler, Paulo Lucas Moura, Delmar Santos; suplentes: Washington Wines Filho, Falvemback Costa Amaro, Valter José Pinheiro. Discutido e aprovado 1% Classe, para desconto de mensalidade, a todos os associados do recém-criado sindicato policial. Foi decidido que a sede provisória do Sindicato dos Servidores da Polícia Civil será na rua Lobo da Costa, 480, junto à sede da UGEIRM, nesta Capital. A seguir, seguem-se os nomes dos colegas que publicamente deram sua autorização para que fosse efetuado imediatamente o desconto da mensalidade aprovada:

Luiz Antônio Bittencourt (DECON);
Conceição Teixeira da Silva / Alonir Jorge Santana;
José Elon Lírio de Oliveira (DP Carazinho);
Luís Carlos Gomes (DP Cachoeirinha);
Eroí Veiga de Assis (DINP);
Oziris Machado dos Santos (Assistencial);
Fernando George Maciel Fernandes (1° DP Caxias);
Paulo Victor Roland Neto (DP Osório);
Lia Mara dos Santos Soares (DP Cachoeirinha);
Luis Carlos Campagnolo Barreto (8° DP);
Edson Van Der Laan (DETEL);
Delvino Fochezatto (I.C);
Alfredo Luís Pinheiro (I.C);
Renato Rosa de Souza (UGEIRM).

O presidente da Assembléia, Maciel, declarou, no início, que estava preocupado com o futuro da categoria. Agradeceu a presença dos colegas, afirmando que as entidades não deixarão de existir com a criação do sindicato e chamou à mesa o colega Carlos Estevão Marques Filho, para o mesmo fazer uma declaração, antecipando um congraçamento da classe policial, para que não houvesse nenhuma divisão. Estevão esclarece que o sindicato foi fundado em 22 de abril, em assembléia-geral, por um grupo, de acordo com o artigo 8° da Constituição Federal. Entende que o sindicato não tem dono, é da Polícia Civil, e uma assembléia, por ser soberana, deve ser respeitada, dessa forma, Estevão, em nome da diretoria do sindicato antes fundado, coloca à disposição da assembléia os cargos e proclama uma manifestação em torno do sindicato, agora discutido em prol da classe policial; termina dizendo que o sindicato é uma idéia que partiu de uma ideologia de classe e entende que as reivindicações da Polícia devem ser unificadas em uma só proposta. O escrivão Benjamim Boézzio salientou que os cargos não poderiam ser colocados à disposição, em vista de tratar-se de uma pretensa pessoa, mas sim que se Estevão quisesse a união, endereçasse à DRT requerimento solicitando baixa ao pedido por ele apresentado, tendo o mesmo concordado. O inspetor Renato Rosa de Souza sugeriu o nome para o sindicato de "Sindicato dos Servidores da Polícia Civil", sendo este nome aceito por unanimidade por assembléia. Logo após as manifestações expressas de autorização para desconto da mensalidade social, o presidente da assembléia deu posse à diretoria eleita do Sindicato, cujas assinaturas seguem-se adiante. “Em seguida, foi acolhida a assinatura dos componentes da Diretoria provisória do Sindicato dos Servidores da Polícia Civil do Estado do Rio Grande do Sul”.

Esta foi a ATA oficializando a criação do SERVIPOL, que deu origem à Entidade. 

Assembléia geral do dia 26 de novembro de 2009 aprovou a denominação do sindicato para Sinpol-RS




CONVÊNIOS

O associado SINPOL, possui descontos e vantagens em estabelecimentos de diversos seguimentos.


ASSOCIE-SE AQUI!


Sinpol - RS Sindicato dos Servidores da Polícia Civíl do RS
CNPJ: 93.019.677/001-52
Código Sindical: 916.029.000.97835-1
Rua Leopoldo Bier, 454 - Porto Alegre - RS/Brasil
CEP 90620-100 - Telefone (51) 3217.1001
E-mail: sinpol@sinpolrs.com.br
Copyright © 2017 Sinpol-RS. Todos os direitos reservados.

VER MAPA >>